31.7.15

video
A partir de um original com realização, fotografia e animação de Maarit Halonem e edição e pós-produção Ideias com Peso.

Por uma ideologia de esperança

O Citemor não beneficiou de apoios estruturais nos últimos três anos. Não está em causa apenas o subfinanciamento crónico do sector, agudizado recentemente, mas uma distribuição injusta dos recursos existentes. Apesar disso, o festival não parou.

Tendo em conta o esforço das últimas edições e um percurso de mais de três décadas, entendemos que não devíamos tomar a decisão de suspender o festival entre nós. Porque o Citemor é uma construção colectiva, um festival historicamente muito participado, decidimos auscultar a comunidade artística. Ouvimos artistas e companhias com uma importância fundadora para o Citemor, que influenciaram o seu carácter e que têm uma noção clara do seu percurso. Do que foi e do que poderia ter sido. Ouvimos alguns programadores de teatros e de festivais muito diversos, mas também uma nova geração de criadores que, provavelmente, nunca terá acesso a meios de produção aceitáveis.
Fortalecidos com o resultado desta auscultação, decidimos dedicar todo o segundo semestre deste ano à reflexão e à discussão, cumprindo uma agenda de encontros de trabalho que se prolongarão pelo Outono, com o objectivo de identificar formas concretas para garantir a continuidade do festival. Por outro lado, concordamos com a pertinência de encontrar um gesto de carácter performativo que sinalize este Verão.

Vamos estar reunidos em Montemor-o-Velho para a 37ª edição do Citemor entre 6 e 8 de Agosto. Convidamos os públicos para uma palestra sobre o percurso do festival seguida de uma discussão. E para duas noites em que desenhamos um roteiro pela vila, que nos conduz através de diferentes propostas artísticas. Momentos únicos. Acontecimentos singulares, irrepetíveis.
Num quadro dominado pela precariedade absoluta, este programa é um gesto de puro activismo. Um gesto de indignação que se inscreve, que se imprime. Por uma ideologia de esperança.

Quinta 6 Agosto 22:00 Teatro Esther de Carvalho
QUE SE INTERROMPAM AS FÉRIAS, QUE SE PARE O PAÍS!_ CLÁUDIA GALHÓS

Sexta 7 Agosto 22:00 Teatro Esther de Carvalho
UMA FICÇÃO NA DOBRA DO MAPA_ ELENA CÓRDOBA & FRANCISCO CAMACHO
seguido de

BAIRRO DAS EX-COLÓNIAS_TEATRO DO VESTIDO
seguido de

THE HORN OF PLENTY DRESS - Summer 2015_ TANIA ARIAS

Sábado 8 Agosto 22:00 Teatro Esther de Carvalho
COLEÇÃO DE AMANTES_RAQUEL ANDRÉ

seguido de
PASOLINI IS ME_ COLECTIVO 84

Os percursos terão início sempre no Teatro Esther de Carvalho, sempre às 22:00, apesar das obras decorrerem em vários espaços da vila.
O espectador é que define o preço do bilhete: reservas@citemor.com